sábado, 24 de julho de 2010

Afazeres

Pois ando em período de arrumações (um dos motivos é porque vai haver mudança de palácio...mas isso é outra história...) e dei por mim a reler uns cadernitos em que eu escrevo as coisas giras/interessantes/bonitas que eu leio nos livros ou vejo por aí... Pois bem, eis algumas das coisas que por lá vi e que partilho :)

" 'Olha' e apontava as primeiras estrelas que se acendiam na abóbada do céu, 'aquilo são estrelas, dizem os homens... e porque não há-de ser o pó doirado que tombou de uma grande asa de borboleta?" [Visões diferentes das coisas...é sempre importante :)]
Florbela Espanca, 'As máscaras do destino'

"Quando sentiu que estava morrendo, meu avô Celestiano chamou a mulher e pediu-lhe:
- Deixa-me fitar teus olhos!
E ficou, embevecido, como se a sua alma fosse um barco no mar que eram os olhos de sua amada.
- Tens frio?, perguntou ela vendo-o tremer.
- Não és tu que estás a chorar.
- Chorar, eu? Começou foi a chover." [Aqui está o porquê eu gostar tanto do Mia Couto...]
Mia Couto, 'Marmequer'

"(...) no amor a gente só sabe que encontra a pessoa certa depois de encontrar as que são certas para outros." [ :) ]
Mia Couto, "Na berma de nenhuma estrada"

"Não há homens fiéis, o que há é homens que não conseguem ser infiéis." [Nada mais correcto ;)]
José Eduardo Agualusa, "As mulheres do meu pai"

"As asas acontecem tanto aos anjos, quanto aos demónios, quanto às galinhas. Por precaução, o melhor é tratr a todos como se fossem galinhas." [Faz todo o sentido!]
José Eduardo Agualusa, "A estação das chuvas"

"As paixões eternas costumam durar uma média de seis meses; depois se as coisas correrem bem, convertem-se em amores de toda a vida, que duram aproximadamente mais dois anos. No total, o espasmo cordial abarca geralmente uns dois anos e meio. [E] esta regra do coração não escrita [é] tão certa como a existência do buraco do ozono (...)" [Há já muito que acreditava nesta teoria e saber que alguém que nunca a ouviu da minha boca pensa o mesmo só me faz acreditar mais nesta calendarização eheh]
Rosa Montero, 'A filha do canibal'

...

3 comentários:

vodkat disse...

Inês Maria... "aproCimadamente"????!?!?!?!

Ai, que me dá uma coisa...

Sinceramente leio esses pequenos textos e não me dizem nada!! Mas se calhar sou só eu que nunca encontro muita beleza nas palavras... Repetem-se 3 vezes e perdem o sentido. Mas tem que ser 3... aproXimadamente!!!

Nês disse...

Ahahah n sei se reparaste mas no teclado o C está ao pé do X e eu n costumo rever o q escreveo... portanto está explicado, sim? Como é óbvio eu sei que é "aproXimadamente"...catano...

pAdrinHo disse...

Boa sorte no novo palácio!!!